Sábado, 26 de Maio de 2007

Entrevista

Entrevista ao Anderson (jogador do F.C. Porto).

 

Tema: O contrato entre Anderson e o F.C. Porto, aspectos que interessaram a contratação do médio brasileiro com 17 anos.

 

Perg. - Transferiu-se para a Europa e para o FC Porto com apenas 17 anos. Hesitou, com medo de que fosse ainda muito cedo para tamanha aventura, ou a decisão foi imediata?

Resp -  ANDERSON – Medo? Nunca tive medo de nada, então quando o assunto é jogar futebol não tenho medo nenhum, e eu comecei a jogar bem cedo. No futebol não se pode ter medo. Você está ali para jogar, está ali para se divertir, até para brincar. Aliás, sempre levei isso como uma brincadeira. O que se passou foi que achei que tinha chegado o momento certo. E foi assim que aconteceu. Sem medo.

 

 

Perg - Conhecia o FC Porto?

Resp - Sabia que tinha ganho título, principalmente a Champions, também conhecia o Carlos Alberto, mas não tinha um conhecimento profundo do FC Porto.

 

 

Perg. - Esteve no Mundial de Sub-17, foi considerado o melhor jogador do Mundo, foi o responsável pela subida do Grémio à Série A. Saiu do Brasil com o estatuto de estrela, até de herói. Mas quando chegou ao Porto era, apenas, mais um entre muitos outros jogadores. Foi um choque? Ficou confuso? Como se processou a sua adaptação a esta nova realidade?

Resp - As pessoas no Brasil chamavam-me herói, mas eu sempre me considerei um simples jogador e hoje continuo a pensar o mesmo. Para mim, todos os jogadores são iguais: têm pernas, têm braços, a diferença é que uns têm mais qualidade que outros, uns têm mais força outros menos. Mas toda a gente sabe que no futebol só se ganha em grupo: um jogador sozinho não consegue ganhar nada. Pega num guarda-redes, mete-o a jogar e vê se ele ganha a onze. Não vai conseguir ganhar. Quando cheguei, todos os jogadores tentaram ajudar-me, sabiam que eu não era conhecido, que não estava a jogar, que tinha 17 anos – embora na minha cabeça isso não fizesse sentido, porque já era profissional há ano e meio. Aos poucos fui-me adaptando com a ajuda de todos. Sinceramente, pensava que ia sentir mais dificuldade do que aquela que realmente senti. Era um novo país, novos hábitos, um novo conceito de futebol. Mas correu bem. Admito que nos primeiros cinco meses andava um pouco chateado, porque não jogava. Mas só por isso, porque o que eu queria era jogar.

 

 

Perg - Entretanto Adriaanse saiu, mas a aposta manteve-se com Jesualdo Ferreira…

Resp - Pois é. É o futebol. O que eu quero é jogar futebol. Por mim jogava sempre a titular.

 

 

Perg - O FC Porto já foi duas vezes campeão europeu. Acha possível vir a repetir-se?

Resp - Claro que acho! Eu quero ser campeão europeu pelo FC Porto. Eu e todos os meus companheiros de equipa estamos a trabalhar para ganhar tudo, campeonato, Taça, Champions, tudo.

 

 

Perg -O FC Porto foi a escolha certa?

Resp - Claro que foi, é o clube certo para continuar o meu crescimento enquanto jogador e também enquanto ser humano. Já aprendi muita coisa e vou continuar a aprender. Depois, é um dos maiores clubes do Mundo, quer a nível de títulos que já conquistou quem a nível de organização. Que jogador não gostaria de estar no FC Porto?


Rui Ramos nº22 10ºA


publicado por ramoslol às 23:05
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25

27
28
29
31


.posts recentes

. Glossário de Português

. ...

. Entrevista

. Ficha de leitura nº3

. Carta de Reclamação

. Ficha de leitura nº2

. Relatório

. Página de Diário

. ...

. Ficha de Leitura nº1

.arquivos

. Maio 2007

. Março 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds